Seu navegador não suporta java script, alguns recursos estarão limitados. Finep participa do XXVIII Fórum Nacional, presidido por Reis Velloso
fechar
Compartilhar

 forumnacional2016

Pedricto Rocha Filho, diretor da Finep (à esquerda), e João Paulo dos Reis Velloso, presidente do INAE. (Foto: João Luiz Ribeiro/Finep)

O diretor de Inovação da Finep, Pedricto Rocha Filho, palestrou na 28ª edição Fórum Nacional, nesta quarta-feira, 18/5, no auditório do BNDES, no Rio. O evento, que ocorreu até 19/5, é uma iniciativa do Instituto Nacional de Altos Estudos (INAE), presidido pelo economista e ex-ministro João Paulo dos Reis Velloso. A Finep é um dos apoiadores do INAE.

“No Brasil, o investimento do Governo em pesquisa e desenvolvimento é bem maior do que o da iniciativa privada, o que também tem a ver com as baixas competitividade, produtividade e inovação, ainda mais quando comparados em proporção ao Produto Interno Bruto (PIB), que é o sétimo do mundo”, afirmou Pedricto.

“Precisamos encontrar uma forma de passar para as empresas o sucesso que obtemos na publicação de artigos científicos acadêmicos. O Brasil vai bem nessa área, mas isso não é transmitido à indústria”, destacou Pedricto.

Tecnologias do Século XXI

Na abertura do painel do dia, o presidente da empresa canadense Maplesoft, Jim Cooper, falou da revolução que métodos de educação online estão provocando na maneira de se ensinar e aprender. A companhia tem mais de um milhão de usuários de fermentas de “e-learning”, a metade deles em plataformas “mobile”. “Hoje, há uma geração de nativos digitais e nada mais natural para eles que estudar online, já que esse mundo é parte do seu cotidiano. A tendência dessa experiência é crescer e há imenso potencial no Brasil”, contou Cooper.

O presidente da Brasscom, Antonio Gil, em sua fala sobre Tecnologias da Informação e Comunicação (TIC), disse que “apesar de o Brasil ser muito avançado no uso dessas tecnologias, ainda é muito atrasado em ter uma visão do que está acontecendo no momento”. Gil falou sobre o estudo TIC 2022, feito em parceria da Brasscom com a consultoria internacional McKinsey. Nele, são apresentadas 12 iniciativas básicas para impulsionar o País na área de TICs, sendo que Gil considera fundamental concentrar esforços em três delas: educação, saúde e investimento em pequenas e médias empresas. O especialista também sugere a criação de um órgão de Governo para coordenar as ações no campo digital, além de um “think tank” privado que possa debater o tema e monitorar os esforços a serem feitos para a superação dos gargalos.

Em palestra sobre Biotecnologia, o presidente da Extracta Moléculas Naturais, Antônio Paes de Carvalho, afirmou que o uso dessa tecnologia pode render retornos econômicos e sociais significativos, em longo prazo. “Mesmo os prazos de retorno dos investimentos podendo ser considerados longos – de sete a 12 anos – os ganhos futuros podem chegar a cerca de US$ 5 bilhões anuais, com o lançamento de uma nova molécula”, disse.

O Fórum

O INAE, criado em 1991, é uma associação civil, sem fins lucrativos, que promove o Fórum Nacional e outros eventos. Inicialmente – de 1988 a 1990 -, o Fórum era organizado com o apoio do Instituto Brasileiro de Mercado de Capitais (IBMEC).





Rio de Janeiro

Av. Rep. do Chile, 330
10º, 11º, 12º, 15º, 16º e 17º andares - Torre Oeste  - Centro
CEP: 20031-170
(21) 2555-0330

Praia do Flamengo, 200 - 3º andar  - CEP: 22210-065
(21) 2555-0330

São Paulo

Av. Pres. Juscelino Kubitschek, 510 - 9º andar - Itaim Bibi
CEP: 04543-000
(11) 3847-0300

Brasília

SCN QD. 02 Bl. "D", Torre A, Sala 1102 - Centro Emp. Liberty Mall
CEP: 70712-903
(61) 3035-7150