Seu navegador não suporta java script, alguns recursos estarão limitados. Edital Finep/MCTI apoia primeiro equipamento de desinfecção por raios UVC controlado por aplicativo
fechar
Compartilhar

 equipamentomovelcapaAlexandre Fernandes coordena o projeto

Será lançado em novembro o primeiro equipamento brasileiro de UVC – raios ultravioleta - para desinfecção de ambientes contra Covid-19, acionado através de um simples celular.  O projeto, intitulado ‘Equipamento Móvel com tecnologia IOT para desinfecção do ar e superfícies’, foi aprovado no âmbito do Edital Finep/MCTI Subvenção Econômica à Inovação, de março de 2020. Segundo o coordenador do projeto, o mestre em engenharia Alexandre Fernandes, da Faculdade Profissional de Curitiba, foi exatamente o objetivo do edital a inspiração para a ideia inovadora. A chamada estimulava o uso de novas soluções tecnológicas, como a IOT - Internet das Coisas – (Internet of Things na sigla em inglês), e é exatamente esse o grande diferencial do equipamento.

Até agora, o processo de desinfecção de ambientes por UVC se utiliza de robôs de alto custo, em um processo que pode causar danos à saúde. Embora organismos internacionais e a própria Anvisa, segundo Fernandes, atestem a eficácia da luz UVC na desinfecção de superfícies e do ar e na eliminação de vírus, especialmente o da Covid-19, uma exposição direta a seus raios pode ser danosa à retina, dentre outros malefícios.

equipaentomoveldetalheDetalhes do equipamento

No equipamento móvel, não existe essa exposição direta do operador. A máquina, que pesa cerca de 30 kg e possui rodas para facilitar seu transporte, é colocada no ambiente e informada sobre seu tipo: auditório, quarto hospitalar, sala de reunião, etc. A partir dessa informação, sensores medem as dimensões do local e, pela combinação desses dados, produzem o cálculo de quanto tempo de aplicação de UVC será necessário para sua desinfecção. (Cada aparelho cobre uma área de até 40m², sendo necessário mais de um em áreas maiores.) O operador então sai do ambiente e, do lado de fora, através de um aplicativo no celular, acompanha a operação, sendo avisado de seu encerramento, quando então pode retornar ao ambiente já desinfetado, com segurança.

O projeto, apoiado pelo Edital Finep/MCTI com R$ 458 mil reais de recursos de Subvenção Econômica, tem comprovado custo benefício. Os robôs, normalmente usados no procedimento, têm valor médio unitário de R$ 150 mil, enquanto o Equipamento Móvel varia de R$ 15 a R$ 20 mil por unidade.

Além da sua aplicação em hospitais, no transporte público e em salas de aula – esses últimos grandes preocupações durante a pandemia – Fernandes ressalta o potencial do equipamento para a geração de empregos, uma vez que a Faculdade Profissional pretende lançar o produto num esquema de franquias. “Com um Equipamento Móvel, a pessoa pode, por exemplo, fazer a desinfecção de residências a um custo de, digamos, R$ 300. Se fizer cinco, em um dia, garante um total de R$ 1.500".

O equipamento passou pela fase de testes em laboratório. A próxima etapa é obter o atestado de eficácia do Instituto Carlos Chagas de Curitiba - ICC/ Fiocruz, quanto à sua capacidade de eliminação do vírus da Covid-19.  O lançamento acontecerá no dia 22 de novembro de 2021, na 22ª edição da Febrava – Feira de Ar Condicionado, Ventilação, Aquecimento, Refrigeração e Tratamento de Água e do Ar, mais importante evento do setor na América Latina.