Seu navegador não suporta java script, alguns recursos estarão limitados. Finep/MCTI e Fapesp celebram lançamento do Edital TecNova II que destinará R$ 10 milhões para empresas de micro e pequeno porte
fechar
Compartilhar

 tecnova2lancamentoFapesp

Um clima de celebração marcou o lançamento do Edital TecNova 2, uma parceria da Finep/MCTI com a Fapesp.

O evento virtual, presidido pelo Diretor de Desenvolvimento Científico e Tecnológico da Finep, Marcelo Bortolini e pelo Diretor Científico da Fapesp, Luiz Eugênio de Mello, reuniu mais de 400 pessoas interessadas no Programa que irá destinar R$ 10 milhões para fomentar atividades de Inovação em empresas de micro e pequeno porte através da subvenção econômica.  Serão destinados à Chamada R$ 10 milhões, dos quais 50% são recursos de subvenção Finep/MCTI e 50% recursos do governo do estado através da Fapesp. O público alvo são empresas com sede no estado de São Paulo, constituídas até 31 de dezembro de 2019, que possuam faturamento de até R$ 16 milhões.

O histórico de parceria entre as instituições foi comemorado por ambos os dirigentes.  Para Marcelo Bortolini, “é uma satisfação enorme estar trabalhando com a Fapesp, um parceiro antigo com a qual já desenvolvemos o programa Pappe Subvenção com diversos resultados positivos. Foi através dessa parceria que em março de 2020, logo após a eclosão da pandemia, conseguimos lançar o Edital de Pesquisa para o Desenvolvimento de Produtos e Serviços para o combate à Covid-19 como resposta à sociedade e já temos resultados promissores”.

Bortolini ressaltou que, mesmo em meio a essa pandemia que em suas palavras é o ‘maior desafio do século XXI até o momento’, a Finep/MCTI, com o apoio do governo federal, bem como a Fapesp não pararam de trabalhar. Citou ainda como resultado desse esforço o total de 271 novos instrumentos contratados pela empresa só em 2020, aí incluídos convênios com ICTs, contratos de subvenção com empresas — 81% dos quais tendo como foco a Saúde.

Luiz Eugênio de Mello qualificou como emblemática a parceria com a Finep/MCTI. Destacou como um dos exemplos de sucesso o programa Pappe Subvenção, criado por ambas e que desde 2011 já produziu 16 chamadas apoiando mais de 150 projetos, num total de R$ 95 milhões e promovendo a inserção dos produtos resultantes dessa etapa de pesquisa, no mercado. O TecNova representa, para o dirigente, a continuidade dessa parceria. “Tenho muito orgulho que a participação do estado de São Paulo no TecNova se dê na minha gestão”, assinalou.

Participou também do evento de lançamento, o Superintendente da Área de Pesquisa Aplicada e Desenvolvimento Tecnológico da Finep, Marcelo Camargo, para o qual, o dia é de celebração. “Para nós é um momento de muita gratidão, de muita alegria”, afirmou. “Porque a Fapesp não é só importante para SP, ela é importante para o Brasil. Ela é uma âncora no sentido da pujança, da capacidade de ser o exemplo das melhores práticas. Temos em SP o espelhamento do que a gente gostaria de ter em todo o Brasil, uma alocação do percentual do PIB do estado para a C&T quase que imexível”.

Camargo destacou a importância do TecNova em razão do inerente componente de risco que há no processo da Inovação. O Edital irá apoiar projetos inovadores que envolvam significativo risco tecnológico associado a oportunidades de mercado. “Temos que ter essa visão, quando lidamos com a Inovação. Tratamos de uma variável crítica que é exatamente o risco e temos que saber enfrentar esse risco.” Segundo ele, o programa vem ainda consolidar o pipeline de programas Finep/MCTI de apoio às empresas inovadoras. Desde uma idéia inovadora apoiada através do Programa Centelha até projetos mais robustos, passíveis da subvenção econômica pelo TecNova, a Finep/MCTI possui todas as modalidades de financiamento disponíveis para viabilizar a Inovação.

Encerrando o encontro, Marcelo Camargo deixou uma mensagem de resiliência aos inovadores. Vitimado pela Covid-19, ele passou 90 dias internado, dos quais 30 em coma, 30 na UTI e 30 em recuperação em uma unidade semi-intensiva. “Quando acordei do coma, achei que não teria novamente condições de, por exemplo, estar aqui hoje falando com vocês. Fui traqueostomizado, passei por seções de bronco-aspiração de três a quatro vezes por dia. Então, percebi que só não há jeito para a morte.” E concluiu com a mensagem: “O que quero dizer a vocês com esse episódio é que, ao tomarem recursos não reembolsáveis num país com tantas desigualdades ainda, em que precisamos de um esforço enorme para captar recursos, é fundamental ter dedicação, empenho, carinho com os valores obtidos. Que com eles vocês façam o mesmo esforço que eu fiz para viver e entreguem à sociedade os melhores projetos possíveis. Com disciplina e luta, podemos vencer. É essa a esperança que o empreendedor tem que ter.”