Seu navegador não suporta java script, alguns recursos estarão limitados. Revolução genética na pecuária acontece no interior de SP
fechar
Compartilhar

seleonA melhoria genética é fundamental para a produção de carne de qualidade,
especialmente num mercado cada vez mais complexo e competitivo (Foto: Rogério Rangel / Finep)


Fundada em 2014, a Seleon Biotecnologia é a mais moderna empresa de biotecnologia em reprodução bovina da América Latina. Localizada em Itatinga, interior de São Paulo, a companhia oferece cinco tipos de serviço: a produção de sêmen bovino, a produção de embriões in vitro, armazenamento de sêmen, sexagem de sêmen e a hospedagem de touros. Com essas atividades, ela pretende valorizar o produto nacional e aumentar os níveis de produção. A empresa conta com financiamento da Finep no valor total de aproximadamente R$ 16 milhões.

A Seleon é fruto do investimento de Bruno Grubisich, conhecedor profundo da criação de gado, que percebeu a falta de um centro avançado de biotecnologia no Brasil voltado para as peculiaridades dos produtores nacionais. A melhoria genética é fundamental para a produção de carne de qualidade, especialmente num mercado cada vez mais complexo e competitivo. "Uma vaca só dá um bezerro por ano. Esse filhote tem que ser o melhor possível, da melhor qualidade, com pais geneticamente resistentes. Daí o trabalho meticuloso de seleção e cruzamento de touros e vacas, com melhores cargas genéticas", detalha Bruno.

Os clientes da jovem empresa de Itatinga são, basicamente, de três perfis: o produtor genético que já faz seleção em seu rebanho e precisa de um centro credenciado pelo ministério da agricultura para vender no mercado; outros são empresas de genética, que localizam os melhores animais, em todo o Brasil, e utilizam os serviços da Seleon para coletar, analisar e armazenar o sêmen; o terceiro tipo de cliente são produtores de gado que têm propriedades em que, por vezes, há apenas um único touro reprodutor ou apenas vacas, e precisa coletar sêmen do macho de alto padrão para ser inseminado em centenas ou milhares de fêmeas.

Grubisich afirma que o produtor brasileiro é muito talentoso em criação genética, mas que, ainda assim, tem de enfrentar a concorrência com produtos e serviços importados ou de multinacionais localizadas no Brasil. Bruno não sofreu com a crise. A recente desvalorização do real incentivou a exportação nacional. Para ele, "não se pode ser escravo do câmbio, mas tem que saber aproveitar cada momento. O produtor tem de se estruturar para essas variações na economia", afirma.

Leia a matéria completa na Revista Finep

Rio de Janeiro

Av. Rep. do Chile, 330
10º, 11º, 12º, 15º, 16º e 17º andares - Torre Oeste  - Centro
CEP: 20031-170
(21) 2555-0330

Praia do Flamengo, 200 - 3º andar  - CEP: 22210-065
(21) 2555-0330

São Paulo

Av. Pres. Juscelino Kubitschek, 510 - 9º andar - Itaim Bibi
CEP: 04543-000
(11) 3847-0300

Brasília

SCN QD. 02 Bl. "D", Torre A, Sala 1102 - Centro Emp. Liberty Mall
CEP: 70712-903
(61) 3035-7150