Seu navegador não suporta java script, alguns recursos estarão limitados. Abertas inscrições para a segunda rodada do terceiro edital do programa Finep Startup
fechar
Compartilhar

Startup 

Já estão abertas as inscrições para a segunda rodada do terceiro edital do Programa Finep Startup, lançado em fevereiro de 2020. A novidade agora são os novos temas para combate ao Covid 19, e nas áreas de Inteligência Artificial e Tratamento da Poluição e Resíduos Sólidos. A inclusão se fez necessária para atender aos desafios impostos pela epidemia do novo Coronavírus e está alinhada às prioridades temáticas incluídas na Portaria 1122 de 19 de março de 2020 do MCTI.

Além dos temas prioritários e daqueles vinculados ao Programa Rota 2030, também são passíveis de investimento por meio deste edital do Finep Startup os seguintes temas estratégicos: Agritech, Saúde Animal e Foodtech; Biotecnologia; Cidades Inteligentes e Sustentáveis; Defesa; Economia Circular; Edutech; Energia Renovável e Eficiência Energética; Healthtech; Indústria 4.0 (Manufatura Avançada; Internet das Coisas (IoT); 5G; Materiais Avançados e Nanotecnologia.

Esta segunda rodada, com prazo para inscrições até 14 de dezembro, mantém a pontuação adicional aos temas prioritários associados a soluções de problemas da sociedade, alinhados às diretrizes do MCTI. São eles: Autismo, TDAH, Déficit de Atenção, Bioeconomia, Cidades Inteligentes para Comunidades Carentes, Divulgação de Ciência nas Escolas, Queimadas e Desmatamento, Seca e Estiagens, Segurança Pública e Privada e Realidade Virtual e Aumentada para Healthtech.

O aporte será de até R$ 1,2 milhão por startup, sendo que propostas relacionadas ao setor automotivo poderão pleitear até R$ 2,2 milhões, devido à parceria com o Programa Rota 2030, cujo objetivo é desenvolver toda a cadeia do setor automotivo através do fomento a projetos inovadores de todos os Níveis de Maturidade Tecnológica (TRL 1 a 9), financiando ICT e empresas com recursos não reembolsáveis, com investimento em Startups e Fundos de Participação. 

Para concorrer, as startups precisam ter protótipo MVP (Minimum Viable Product, em português, Produto Viável Mínimo), prova de conceito ou, preferencialmente, já estarem realizando as primeiras vendas. Assim, não se enquadram propostas em fase de ideia ou pesquisa.

O Programa Finep Startup, que está indo para a sua sexta rodada de investimentos, tem por objetivo impulsionar empresas de base tecnológica em fase final de desenvolvimento de produto ou que precisem ganhar escala de produção, com viabilidade comercial comprovada. “Até o momento, 23 startups já foram investidas pelo Programa, 10 encontram-se me fase de contratação e 23 em avaliação técnica”, afirma o diretor Financeiro, de Crédito e Captação da Finep/MCTI, Adriano Lattarulo.

Na primeira rodada do edital 2020 foram submetidas 350 propostas nos mais diversos temas. O de maior destaque foi o relacionado à Healthtech, com um total de 56 propostas. No momento, as startups inscritas estão sendo avaliadas por uma equipe técnica da Finep/MCTI, a quem caberá a decisão final sobre o investimento.

Investimento público-privado

A Finep/MCTI não pretende tornar as startups brasileiras dependentes de recursos públicos. Por isso, criou um mecanismo pioneiro para estimular o empreendedor a buscar investimento privado: serão priorizadas empresas que forem aportadas por investidores-anjo. O processo funcionará da seguinte forma: a startup que se inscrever no edital com uma carta de compromisso de um investidor-anjo ganhará pontos na seleção. A quantidade de pontos obtidos dependerá do valor do investimento privado, cujo valor mínimo é de R$ 50 mil. Com o aporte mínimo para o seu negócio, a proponente garante 1 ponto, podendo chegar a 5 pontos, no máximo. Ao todo, são 20 pontos possíveis: 15 da avaliação da proposta de valor da startup e 5 obtidos caso ela receba investimentos privados de R$ 250 mil ou mais.