Seu navegador não suporta java script, alguns recursos estarão limitados. Startup se destaca em aplicação de nanotecnologia e criação de membranas eletrofiadas voltadas ao setor médico
fechar
Compartilhar

nanotecnologia123

 

“Não chega a 2% o percentual do setor empresarial com foco em inovação que utiliza nanotecnologia”. Foi a partir dessa constatação que a DBM Eletrotech, uma das 21 empresas selecionadas no programa Mulheres Inovadoras, da Finep/MCTI, desenvolveu a produção de membranas eletrofiadas baseadas na união do processo de eletrofiação e na aplicação de nanotecnologia – possibilitando equipamentos com mais economia e eficácia no setor médico.

Por ser uma técnica ligada à criação de micro ou nanofibras a partir de soluções poliméricas de forças eletrostáticas, a eletrofiação apresenta uma área de superfície maior do que as obtidas em processos de fiação convencionais. Com know how completo, a startup propõe o acompanhamento desde a síntese da matéria-prima até a produção das membranas, passando pelo desenvolvimento dos próprios produtos.

Outra de suas criações em desenvolvimento é o Nanofiltro, utilizado especificamente contra a Covid-19, com intuito de oferecer um produto com proteção mecânica e com partículas de nanoprata, que pode ser utilizado em qualquer máscara, com eficiência de até 99,90%. Além disso, a empresa também elaborou a Membrana Odonto, que é aplicada em cirurgias de enxerto ósseo. A área precisa ser protegida para que o osso se forme de maneira saudável, sem a invasão dos tecidos moles. Por isso, a membrana é colocada como barreira protetora por intermédio do processo de eletrofiação, que produz materiais com poros e permite o fluxo sanguíneo no local.

Apesar de recente, a DBM Eletrotech já participou do Sinapse da Inovação, em 2018, da Fapesc, e recebeu um prêmio no valor de R$ 60 mil reais. A startup destaca a importância de projetos que valorizem e incentivem o empreendedorismo feminino na sociedade, como o Mulheres Inovadoras.

“O programa foi um verdadeiro acelerador, fizemos anos em apenas um mês. As orientações dos mentores nos levaram a enxergar a verdadeira proposta de valor da empresa: a venda de membranas. Queremos que quando as pessoas pensarem em eletrofiação e em nanotecnologia, se lembrem da DBM”, afirma a co-fundadora da empresa, Marcia Duarte.

 

Mulheres Inovadoras

O programa é uma atividade decorrente do Acordo de Cooperação Técnica firmado entre o Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI), a Finep e a prefeitura do município de São Paulo, que tem como finalidade apoiar o empreendedorismo feminino, procurando utilizar a experiência das instituições na formulação de políticas, coordenação de programas e aporte de recursos para o apoio a empresas nascentes inovadoras e de base tecnológica.

A iniciativa conta, ainda, com o apoio de parcerias engajadas em alavancar a participação feminina no empreendedorismo, como a RME - Rede Mulher Empreendedora, Adesampa e Founder Institute.