Seu navegador não suporta java script, alguns recursos estarão limitados. Empresa gaúcha se destaca ao utilizar biotecnologia e tecnologia da informação para controle de pragas agrícolas
fechar
Compartilhar

 

monitora

 

Pensar na saúde do agricultor, consumidor e do meio ambiente é um passo fundamental para a criação de tecnologias voltadas para o agronegócio. É por isso que a BioIn, uma das 21 empresas selecionadas no Programa Mulheres Inovadoras, da Finep, busca desenvolver soluções para um controle de pragas agrícolas mais eficiente - através de duas áreas de estudo: a biotecnologia e a tecnologia da informação.

A junção desses setores foi criada com o intuito de repassar o conhecimento de prevenção antes do combate. Diante dessa ideia, a startup gaúcha desenvolveu duas ferramentas que auxiliam o agricultor no manejo do seu campo – o Monitora e o Biofarm. A primeira é voltada especificamente para supervisionar a incidência de pragas na lavoura e utiliza tecnologia da informação. O sistema, que é baseado em um aplicativo e plataforma web, consegue prever a infestação, observar os seus picos e auxiliar o produtor na tomada de decisão.

Já o Biofarm é o serviço que faz parte da área de biológicos, cujo objetivo é controlar as pragas no cultivo, através de produtos de biotecnologia viva. São insetos que atuam no combate e suas utilizações não geram poluição na água, no solo e nem no ar, justamente por não se tratar de um defensivo químico de inseticida ou de alguma molécula que não possa ser consumida. “Não entregamos isso como um produto, mas como um serviço. Nós ensinamos o agricultor a cuidar do seu campo e damos autonomia, conhecimento e saúde”, destacou uma das fundadoras da empresa, Camila Vargas.

Idealizada em 2017, a BioIn só teve sua criação consolidada em julho de 2018 e está localizada na Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Apesar de ser recente, a startup surgiu através de um pensamento sólido de levar as pesquisas além dos muros das faculdades, de tirar os estudos dos papéis e colocá-los em prática. O destaque foi tão positivo que, além da participação no Mulheres Inovadoras, a empresa foi aprovada em outro edital da financiadora, o Espaço Finep, com uma premiação de R$ 100 mil reais.

Sobre o Mulheres Inovadoras

O programa é uma atividade decorrente do Acordo de Cooperação Técnica firmado entre o Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI), a Finep e a prefeitura do município de São Paulo, que tem como finalidade apoiar o empreendedorismo feminino, procurando utilizar a experiência das instituições na formulação de políticas, coordenação de programas e aporte de recursos para o apoio a empresas nascentes inovadoras e de base tecnológica.

A iniciativa conta, ainda, com o apoio de parcerias engajadas em alavancar a participação feminina no empreendedorismo, como a RME - Rede Mulher Empreendedora, Adesampa e Founder Institute.