Seu navegador não suporta java script, alguns recursos estarão limitados. Com foco na biodiversidade nacional e sustentabilidade, empresa de tecnologia microbiana inova nas áreas agrícola e médica
fechar
Compartilhar

biodiversita 

Micro soluções para macro desafios. Este é o lema da Biodiversita: startup pioneira no Brasil que produz e desenvolve tecnologia de base microbiana para as áreas agrícola e médica. A empresa foi umas das 21 selecionadas para a fase de aceleração do Programa Mulheres Inovadoras da Finep, Financiadora de Inovação e Pesquisa do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI).

Sediada em Campinas (SP), a Biodiversita oferece formulações e consórcios microbianos de forma inédita e especializada, atendendo às necessidades específicas de cada produtor, o que resulta em maior produtividade e rentabilidade das safras.

Como matéria-prima, a startup utiliza micro-organismos da diversidade nacional. Mais de 450 linhagens, dentre bactérias, fungos e leveduras, compõem a coleção de cultura microbiana da empresa, que possui prospecção própria. Um de seus diferenciais inovadores está na exclusiva e pioneira forma de bioprospectar o patrimônio genético, direcionado tanto para o setor agrícola como para o médico. Em relação à área médica, a Biodiversita desenvolve probióticos e enzimas anti-leucêmicas e, atualmente, está produzindo um banco de probióticos para melhorar a qualidade de vida de pessoas com comorbidades e para modulação do microbioma intestinal.

“Nosso compromisso é que as nossas ferramentas sejam alternativas eficientes para o mercado, respeitando os objetivos do milênio, como o uso de energia limpa e renovável. Com a utilização de produtos de bases biológicas, podemos garantir a diminuição dos insumos químicos, substituindo poluentes e tóxicos. Com a exploração racional dos recursos biológicos, conseguimos atender pequenos, médios e grandes produtores, melhorando as suas produções e a disponibilidade de suprimentos. É um trabalho econômico, de valorização do produto nacional, que ecoa na área social”, explica Suikinai Nobre, co-fundadora e CRO da empresa, que, dessa forma, consegue alinhar desenvolvimento sustentável, cuidado com a vida, biodiversidade, conhecimento científico e economia.

Para garantir a qualidade dos seus produtos e serviços, a Biodiversita conta com uma equipe de mestres e doutores formados nas melhores universidades brasileiras. É o caso da própria Suikinai: bióloga de formação, mestre em Biotecnologia Microbiana e doutora em Microbiologia pela Universidade de São Paulo (USP). Após trabalhar no Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA, em inglês) e na King's College de Londres, ela retornou ao Brasil em 2016 e, no ano seguinte, abriu a startup com o sócio Diego Bonaldo Genuário.

Para Suikinai, o Mulheres Inovadoras foi um divisor de águas: “O programa nos auxiliou na estruturação da parte mercadológica da empresa, que tinha uma fundação mais técnico-científica. Foi importante para identificarmos a nossa proposta de valor. Aprendemos a apresentar um portfólio entendível para o público-alvo, desenvolvemos habilidades de negociação e criação de network. Entendemos o nosso mercado-alvo e suas necessidades”, comemora a empreendedora.

Sobre o Mulheres Inovadoras

O programa é uma atividade decorrente do Acordo de Cooperação Técnica firmado entre o Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI), a Finep e a prefeitura do município de São Paulo, que tem como finalidade apoiar o empreendedorismo feminino, procurando utilizar a experiência das instituições na formulação de políticas, coordenação de programas e aporte de recursos para o apoio a empresas nascentes inovadoras e de base tecnológica.

A iniciativa conta, ainda, com o apoio de parcerias engajadas em alavancar a participação feminina no empreendedorismo, como a RME - Rede Mulher Empreendedora, Adesampa e Founder Institute.